Iniciar um empreendimento é sempre muito empolgante. Existe todo um processo para percorrer com desafios, decisões, complicações, mas também satisfação. Depois de organizar a sua missão, visão, valores, objetivo, pensar e planejar como vai ser o seu ambiente corporativo ajuda na concretização das ideias e idealizações.

Para as pessoas que estão cheias de paixão pelo negócio, selecionar o que serve ou o que não serve, procurar e separar referências para a sua empresa é um procedimento cheio de alegria e encantamento. No entanto, mesmo que seja um comportamento normal, é fundamental ter a certeza de estar com o pé no chão, com a consciência na realidade desde o começo para não criar e precisar lidar com frustrações no amanhã- até mesmo para que a visão do empreendimento seja mais objetiva e efetiva.

Leia também: Por que contratar um serviço de arquitetura para montar seu escritório?

É importante ter em mente que cada projeto, cada ambiente, cada empresa é única e por isso é necessário soluções personalizadas para cada possível imprevisto. Existem muitos fatores que interferem no local de trabalho, como por exemplo a economia, termo-acústico, acessibilidade, ergonomia, funcionalidade e claro, a harmonia.

O maior desafio é coordenar todas essas possíveis variáveis com agilidade, assertividade e bom gosto. Entretanto, essa é uma função da equipe de profissionais, nesse caso, os arquitetos. Do olhar empreendedor existem várias outros fatores a serem monitorados, mas que também contribuem e ajudam no planejamento da arquitetura corporativa.

O que você precisa montar no seu escritório

Separamos alguns pontos que devem ser levados em consideração, você sabia disso?

1 – O lugar é apropriado para o meu escritório?

Ambientes diferentes recebem públicos diferentes. Então, a seleção do espaço e a região do seu imóvel precisa ser relacionado com o seu ramo de atividades. É necessário refletir na condição do território, da mesma forma que nas situações de acesso ao escritório. Ainda assim, esses questionamentos podem ser reduzidos se a empresa não trabalhar com o recebimento de visitantes e clientes. Nesse contexto, por exemplo, existe a possibilidade de enfatizar as áreas com preços mais baixos e investir em outros detalhes do projeto.

Mas, se o caso for com o recebimento de clientes, é preciso pensar em todas as questões de estacionamento, possíveis trânsitos e congestionamentos, a distância do escritório de lugares como o centro da cidade, na passagem de pedestres e acessibilidade.

Esses fatores parecem básicos e simples, mas fazem uma grande diferença no momento planejar o conforto dos seus clientes e também dos colaboradores que precisam chegar até o local de trabalho todos os dias.

Além do mais, é essencial estar ciente das questões de fácil acessibilidade para colaboradores e clientes com algum tipo de deficiência. Esse é um dos quesitos que trazem maior visibilidade e reconhecimento da empresa, além de todo profissional e competência.

2 – Os custos serão sustentáveis?

Por mais que o desejo e o objetivo seja impressionar os fornecedores, clientes e colaboradores, não se deve realizar o planejamento de um ambiente financeiramente insustentável. É fundamental basear o escritório com os recursos que o empreendedor tem, considerando os custos fixos e reais que são constituídos, bem como o fluxo de caixa.

Nessa etapa, é necessário sentar e pensar muito bem antes de iniciar um projeto. Além de contar com os custos da obra, é preciso considerar também os possíveis e surpreendentes imprevistos que acontecem. Cada detalhe é planejável, desde a detalhes da decoração até a sustentabilidade do seu aspecto financeiro. É preciso estar ciente que os conflitos irão surgir, mas a sensação de satisfação também, por isso, a importância do planejamento.

3 – Vai existir espaço e possibilidade para crescer?

É orientado sempre nas possibilidades do futuro, uma vez que a tendência é que a empresa se torne cada vez mais reconhecida no mercado ao longo do tempo- e com isso obtenha crescimento.

Dessa forma, o projeto de arquitetura corporativa precisa fornecer soluções versáteis e que possibilitem alterações, mudanças e novos arranjos no futuro próximo. Por exemplo, os famosos ambientes open space, são uma boa escolha quando o item é flexibilidade e versatilidade na organização.

4 – O espaço será de fácil e simples manutenção?

A rotina em um ambiente de trabalho como o escritório, é sempre agitado, movimentado e intenso. Por essa razão, é fundamental que ele permita a maior praticidade possível.

Além de considerar os móveis, objetos, decoração, equipamentos, ferramentas e materiais de boa qualidade, o ambiente precisa ser sempre muito bem limpo, higienizado e organizado, permitindo dessa forma, estimular o senso desafiador, energizante e criativo dos colaboradores e por consequência, evitando possíveis momentos de estresse e desconforto com o local.

5 – Os gostos e desejos pessoais do empreendedor ou arquiteto estão influenciando no projeto?

Diversas vezes o proprietário do escritório adiciona os seus gostos pessoais, em primeiro lugar, de todos os fatores do projeto, comprometendo e talvez até prejudicando, não apenas o andamento, mas como também o desenvolvimento de um empreendimento com personalidade, identidade e conceito forte de imagem assertiva com a missão, visão e valores da marca.

Os desejos e preferência do cliente e proprietário precisam (e devem) sim ser levados em consideração, mas a questão é: não prejudicar e comprometer os resultados do projeto. Uma vez que o empreendedor investiu na realização da obra, as suas preferências precisam aparecem, em várias vezes, em primeiro lugar. Mas é necessário mediar a aparição com o rendimento do trabalho e os resultados.

Em alguns casos, existem também, a atitude antiética de arquitetas que demonstram e deixam transparecer muito as preferências pessoais,  deixando de lado os aspectos que podem trazer mais versatilidade ao ambiente. Por esse motivo, é fundamental estar consciente da responsabilidade no momento de escolher um profissional que não comprometa os ideais e, principalmente, os valores e objetivos da empresa.

É sempre muito importante lembrar que, essas são apenas algumas das dicas e perguntas a se fazer que devem ser levadas em consideração na hora de organizar o planejamento até chegar na concretização do projeto corporativo. Ainda assim, há várias outras possíveis e complexas variáveis que vão estar incluídas e que, precisam ser analisadas de acordo com um conhecimento específico e técnico.