Atualmente, há uma grande preocupação por parte dos gestores em manter suas equipes de trabalho motivadas e produtivas. Desse modo, ter um a arquitetura corporativa dinâmica pode ser um diferencial para que isso ocorra.

Quando um espaço de  trabalho é bem planejado, os colaboradores tendem a se manter mais criativos e engajados com o trabalho e a empresa. Além disso, um local que é pensado para o bem-estar do colaborador também reduz os problemas de lesões causadas por esforço repetitivo e acidentes de trabalho.

Todos os ambientes de uma empresa devem ser pensados cuidadosamente para as pessoas que passam grande parte do seu dia lá se sintam bem e aconchegadas.

Além disso, as instalações de uma empresa também devem transparecer elementos de sua cultura organizacional, isto é, tudo aquilo que funciona como diretriz para guiar a mentalidade e comportamento das pessoas que compõem a empresa, incluindo as políticas, valores, princípios, símbolos, jargões e etc.

A seguir, veja 4 dicas de como ter uma arquitetura corporativa dinâmica:

1. Estrutura das salas em projetos de arquitetura corporativa dinâmica

Hoje em dia muitos escritórios optaram por deixar de lado o formato tradicional de salas fechadas, onde cada profissional trabalhava isolado. Nesse tipo de layout, muitos funcionários que trabalhavam em uma mesma empresa não chegavam nem a se conhecer ou ainda só se conheciam por falar ao telefone ou e-mail.

Em projetos de arquitetura corporativa dinâmica, os espaços de trabalho integrados são os mais usados, pois deixam as rotinas produtivas mais dinâmicas.

Em projetos de arquitetura corporativa dinâmica, os espaços de trabalho integrados são os mais usados, pois deixam as rotinas produtivas mais dinâmicas.

Um projeto de arquitetura corporativa dinâmica prevê ambientes de compartilhados e com estações de trabalho, pensados para favorecer a interação.

Nesses ambientes, muitas vezes, chefes e empregados trabalham juntos e o ideal é que o espaço seja equipado com tudo que é preciso para o trabalho e que também seja organizado, pois um ambiente bagunçado é cansativo e desestimulante.

Ainda que os ambientes compartilhados sejam benéficos para a interação entre os colaboradores e equipes, é recomendável que se pense em salas reservadas para quando algum colaborador deseje se isolar para a maior concentração ou mesmo para o atendimento de um cliente.

2. Móveis modulados

Além de um mobiliário ergonômico, que atenda as normas de segurança para a prevenção de lesões, é interessante que em um projeto de arquitetura corporativa se inclua alguns móveis modulados que podem se adaptar a um imprevisto que surja.

Os móveis modulados possuem a vantagem de permiti alteração, pois são feito em módulos.

Os móveis modulados possuem a vantagem de permiti alteração, pois são feito em módulos.

Um exemplo disso é um banco que pode virar sofá ou uma mesa que tenha seu comprimento ajustável.

O grande diferencial desses tipos de móveis é que eles são feitos em módulos e, por isso, podem ser ajustáveis para ocupar mais ou menos espaço, de acordo com a necessidade.

Os móveis modulados devem ser equilibrados com os outros feito sob medida, que realmente vão fazer parte da identidade visual da empresa e que devem estar de acordo com a cultura organizacional.

3. Criação de um parklet no local de trabalho

Parklet é a denominação dada para áreas criadas para o lazer e convívio.  Em geral, os parklets são criados em calçadas, mas está sendo uma tendência em ambientes corporativos, ainda que apareçam de formas diferenciadas, que se adaptem à identidade da empresa.

Uma área com chão de madeira, bancos, cadeiras e plantas e floreiras é uma forma de criar um ambiente informal em que os funcionários possam  relaxar nos momentos de trabalho ou depois do expediente.

Esses espaços de convivência e lazer também garantem a interação e aproximação entre os colaboradores.

Um espaço de lazer e relaxamento para os funcionários é uma forma da empresa mostrar que realmente se importa com o bem-estar deles.

Um espaço de lazer e relaxamento para os funcionários é uma forma da empresa mostrar que realmente se importa com o bem-estar deles.

Há empresas que até mesmo criam espaços com redes, colchões e almofadas para que os funcionários tirem um cochilo. Nesses espaços, pode haver livros, revistas, jogos, televisão e entre outros artifícios que sirvam para o lazer e descontração.

Vale lembrar que quanto mais relaxado o funcionário estiver mais ele será produtivo e eficiente em suas tarefas.

4. Inatalação de uma copa funcional

Assim como a criação de um parklets, que seria um local de descanso e relaxamento, é essencial ter uma área de refeição completa. Isso porque, para muitos colaboradores não é viável ir a um restaurante ou em casa todos os dias almoçar.

Muitas empresas não dão atenção a isso e os colaboradores que decidem almoçar no trabalha acabam comento em suas próprias mesas, o que acaba sendo um momento estressante, já que o intervalo do almoço deve ser um momento para dar uma pausa do trabalho.

Pensando em uma arquitetura corporativa dinâmica, ter uma copa equipada para refeições e lanches também é uma forma de mostrar preocupação com o bem-estar dos colaboradores, além de favorecer a integração entre eles.

Pensando em uma arquitetura corporativa dinâmica, ter uma copa equipada para refeições e lanches também é uma forma de mostrar preocupação com o bem-estar dos colaboradores, além de favorecer a integração entre eles.

Assim, uma área de refeição com micro-ondas, fogão, cafeteira, geladeira, pias e entre outros equipamentos permite que os funcionários possam fazer suas refeições tranquilamente, o que também favorece o bem-estar e interação.

Agora que você já sabe o que incluir em uma  arquitetura corporativa dinâmica, acesse o site da T2 Arquitetura e solicite um orçamento para a sua empresa!