O ambiente que frequentamos e convivemos tem a capacidade de interferir no nossa motivação, concentração, disposição, humor e até mesmo de mudar casos de fadiga.

Leia mais

A rotina corrida de muitas pessoas da contemporaneidade tende a afastar as mesmas da vegetação, da natureza. Existe uma porcentagem de, hoje em dia, aproximadamente 90% dos seres humanos ficam espaços fechados, especialmente em empresas, trabalhando.

Leia mais

Um ambiente de trabalho é um local totalmente profissional e, muitas vez, tradicional. Por conta disso, é difícil ousar na decoração. No entanto, as plantas são um elemento decorativo que sempre foi muito bem vindo em qualquer ambiente, como lojas, apartamentos, startups e até mesmo aqueles mais clássico como empresas e escritórios.

Leia mais

Os benefícios da arquitetura corporativa têm feito com que este segmento cada vez mais cresça no Brasil.

O objetivo da arquitetura corporativa é transformar ambientes de trabalho de forma que fiquem não somente mais produtivos, mas também confortáveis e com espaços diferenciados, em que os layouts modernos sejam pensados para facilitar as rotinas de trabalho. Leia mais

Quando se fala em arquitetura corporativa clássica e moderna é normal que se venha a cabeça dois conceitos: o retrô e antigo versus o novo e moderno. Leia mais

A busca por uma melhor qualidade de vida e valorização do capital humano tem se tornado cada vez mais alvo de investimento por parte da empresa. Daí surgiu a arquitetura corporativa, que busca a criação de ambientes que além de favorecer o bem-estar dos funcionários também são altamente funcionais. Leia mais

Solicitar um projeto de arquitetura corporativa tem sido casa vez mais feito e valorizado no Brasil. Leia mais

Certamente você já pensou em contratar um serviço de arquitetura, mas acabm deixando de lado por achar que é algo desnecessário. Contudo, este é um grande erro, principalmente quando se trata de empresas e arquitetura corporativa.

Leia mais

Hoje, mais do que nunca, as empresas precisam responder com agilidade às rápidas mudanças da economia, do mercado, da tecnologia e do trabalho, como forma de sobrevivência em um mundo cada vez mais competitivo.

O espaço tem de se tornar mais fluido para atender às diferentes formas de atividades existentes no escritório, mais confortável para contemplar as diversas exigências quanto à concentração e à comunicação, mais agradável e humano para que se torne um ambiente mais produtivo.

Os dez mandamentos do escritório do futuro contêm mais do que palavras: são intenções, emoções e ações sem as quais esses espaços não se tornarão o meio, o caminho e a fonte inspiradora para a realização do trabalho no século 21.

1º Mandamento – Flexibilidade

Relativa ao ambiente, seus espaços e componentes. O escritório deve atender aos diversos tipos de atividades, possibilitar os contatos e suportar as mais inovadoras idéias. Permitir tanto a integração do trabalho em grupo, quanto a concentração no pensar.

Ambientes

Estratégia de marketing: A estratégia de marketing e os principais projetos institucionais da empresa são criados aqui. Os funcionários não possuem estações de trabalho fixas e precisam de grande mobilidade para reconfigurações, pois trabalham ora individualmente, ora em equipe.

Desenvolvimento de produtos: Os principais projetos de produtos da empresa são desenvolvidos neste espaço por prestadores de serviço. O conceito aqui é o de free address, ou seja, os ocupantes da sala não têm estação de trabalho fixa, alternando sua permanência na empresa com períodos de trabalho em casa.

2º Mandamento – Mobilidade

Com as novas tecnologias que permitem a realização do trabalho fora dos domínios da empresa, a jornada se dilui, mas também se amplia. É o trabalho em movimento, veloz e, às vezes, cruel. Trabalha-se no trânsito, em casa, no aeroporto, em qualquer lugar. Além disso, há a mobilidade social, relacionada ao movimento das idéias e dos valores, que permeia toda a organização da empresa.

Ambientes

Home Office: É o escritório de um jovem funcionário da área de desenvolvimento de produto, que eventualmente trabalha em casa. O moço é formado em economia e gosta de ler, fotografar e surfar.

Casado, é pai de um menino de dois anos.

Sala de espera: O conceito é o do escritório em movimento. Durante a espera é possível se conectar com a empresa, trocar informações via internet ou simplesmente descansar.

3º Mandamento – Comunicação

Como facilitador do trabalho criativo, exige a sinergia de múltiplas mentes. O trabalho colaborativo dá ênfase à contribuição e não mais ao desempenho individual.

Ambientes

Gestão de serviços: Área de trabalho ocupada por funcionários responsáveis pelos suprimentos da empresa, da aquisição de móveis e outros materiais de trabalho à execução de uma reserva de hotel. Parte do tempo é dedicada a receber os fornecedores.

Recursos humanos: Quatro diretorias – seleção e contratação, cargos e salários, gestão de pessoas, comunicação corporativa – dividem o espaço nesta sala, formando um grupo de alto desempenho.

4º Mandamento – Integração

Umas das razões para a existência do escritório, ainda hoje, é reunir as pessoas com o objetivo de socializar e viver os valores da empresa, inspirar e realizar trocas, obter orientações e feedback. A convivência social do trabalho é importante inclusive para o bem estar individual.

Ambientes

Praça: Local que sugere uma pausa para descansar ou conversar.

5º Mandamento – Privacidade

Visa garantir o trabalho individual e a realização das atividades baseadas em idéias. O processo criativo exige concentração, raciocínio e tranqüilidade.

Ambientes

Presidência: É o ambiente onde são planejados os rumos da empresa. Aqui a presidente recebe clientes e políticos influentes. Sem sair de sua mesa, também é capaz de se comunicar com outros escritórios ao redor do mundo.

Cockpits offices: É um espaço utilizado temporariamente por qualquer um dos funcionários da empresa, sempre que for necessário realizar tarefas com concentração e tranqüilidade.

6º Mandamento – Bem estar e qualidade de vida

São requisitos básicos para a produtividade. Cuidar da saúde mental é tão importante quanto da saúde física. Mente sã e corpo são aumentam a sensação de prazer e o comprometimento no trabalho.

Ambiente

Espaço zen: É um local de descanso da mente, propício para relaxar e meditar. Deve levar à introspecção e à reflexão, fazendo um contraponto ao excesso de informação dos demais ambientes da empresa.

Espaço do corpo: A ordem aqui é exercitar o corpo e vencer desafios. Num ambiente alegre e convidativo, os funcionários são estimulados a ser ativos fisicamente e perseverantes na busca de seus objetivos.

7º Mandamento – Conhecimento

É a capacidade única dos humanos de transformar a informação em pensamento produtivo. O conhecimento que realiza, impulsiona e experimenta é o grande diferencial das empresas inovadoras deste início de século.

Ambientes

Auditório: Ambiente de aprendizado, treinamento e troca de informações.

Learning Center: Dedicado ao aprendizado, é um ponto de convergência do conhecimento compartilhado. Estimula a pesquisa e a leitura.

8º Mandamento – Agilidade

É necessária na obtenção da informação, na transformação dessa informação em conhecimento e no uso das novas tecnologias para responder às recentes oportunidades de negócios. A imagem de empresa ágil é um diferencial competitivo.

Ambiente

Pesquisa de mercado: O conceito aqui é o do free address, ou seja, os funcionários não possuem mesa fixa e trabalham boa parte do tempo sozinhos, on-line, realizando benchmarkings mundiais.

9º Mandamento – Segurança e ética

Segurança física, patrimonial, da informação, dos processos, do negócio. Com ela, vem a ética na condução dos negócios, nas relações com funcionários, colaboradores, fornecedores e clientes.

Ambientes

Sala de operações: O trabalho aqui é realizado em turnos, 24 horas por dia. Desta sala é possível monitorar, por exemplo, o conforto ambiental no edifício, e autorizar a entrada de pessoas em áreas restritas.

Auditoria: É a área responsável pela elaboração e comunicação das regras institucionais e a fiscalização de seu cumprimento. Os funcionários trabalham a maior parte do tempo sozinhos.

10º Mandamento – Efetividade

É a qualidade de efetivo, verdadeiro, real. É a síntese de uma empresa: seu princípio e fim. Por meio de sua imagem corporativa, a empresa mostra a efetividade de sua existência e de seu propósito.

Ambiente

Recepção: É a porta de entrada dos Escritórios do Futuro, um espaço multimídia e futurístico. Promete causar impacto pelo apelo visual.

A importância de um projeto bem resolvido na área corporativa transcende os aspectos normalmente analisados.

Existe uma tendência de se avaliar este tipo de projeto principalmente pelos aspectos funcionais e estéticos, quando estes fatores são apenas parte de uma solução que engloba muitos outros temas.

A compreensão clara da dinâmica da empresa e a fluência dos processos internos são fundamentais para que se estabeleça uma ocupação espacial adequada, garantindo agilidade e sinergia entre os departamentos.

Essa fase do projeto requer que os arquitetos sejam especializados no sentido de elaborar um diagnóstico claro a acurado da situação atual da empresa, entender os problemas no fluxo real e levantar os organogramas atuais e futuros com o objetivo de elaborar um zoneamento ideal.

A captura desse tipo de informação é muito importante e, via de regra, requer algumas entrevistas com os gestores das áreas para compreensão não só do fluxo dos processos, mas também das matrizes de relacionamento (sinergias) inter e intra departamentais.

Em função desse diagnóstico, elaborado a partir de todas as informações obtidas, a próxima etapa é a de alocação das áreas nos espaços disponíveis. O conceito a ser adotado nessa fase é também muito importante no objetivo de redução de custos.

Através do planejamento de ocupação é possível dimensionar e avaliar quais reduções de espaço são possíveis, sem entretanto reduzir a qualidade de trabalho. Um bom layout resulta em espaços bem aproveitados, significando economia das áreas e conseqüente redução de custos como aluguel, condomínio, manutenção, entre outros.

Também o conceito adotado para o projeto pode contribuir bastante na redução de custos operacionais. Um escritório aberto, sem salas fechadas (ou com poucas), além de ocupar menos área, permite um espaço mais flexível, de maneira que os ajustes que forem necessários ao longo do tempo sejam mais fáceis de fazer e portanto, com menor custo.

Quando se tem a possibilidade de elaborar um projeto voltado para o perfil levantado de uma empresa, uma das oportunidades de redução de custos está também na tecnologia a ser adotada para o projeto. A utilização máxima da iluminação natural, ou mesmo a especificação de luminárias de última geração (maior eficiência de iluminação, dimerizáveis eletronicamente de acordo com a incidência de luz natural) permite reduções significativas no consumo de energia.

Esse mesmo conceito se aplica a outros fatores, como o sistema de ar-condicionado ou mesmo o tipo de metais sanitários a ser utilizado (sensores eletrônicos, fechamento automático).

Outro fator que é importante de ser constatado e pode do projeto do projeto corporativo de interiores é o que diz respeito ao aumento de produtividade. Esse aumento comprovadamente pode ser advindo da própria situação dos grupos em uma distribuição que faça sentido, gerando mais sinergia e portanto facilitando as atividades operacionais. Também pode ser resultante do ambiente em si, que deve ser estimulante, proporcionar cenários diferenciados e ser bem resolvido em termos de ergonomia.

É sabido que os ambientes mais agradáveis geram efeito benéfico ao homem e hoje as áreas de recursos humanos têm claramente essa percepção.

Muitas vezes faz parte do briefing a criação de espaços de convívio, lazer e outras áreas voltadas para o bem-estar dos funcionários, que são espaços percebidos como um benefício adicional que determinadas empresas oferecem, o que, além de elevar a produtividade, funciona como fator de retenção de talentos.

Finalmente há que se mencionar o fator imagem. Encontra-se aqui um item muito importante porque essa “imagem” é o que as empresas transmitirão para o mercado, não só considerando o público externo (fornecedores, clientes), mas também a própria maneira dos funcionários perceberem o perfil da sua empresa.

Texto: Revista Arquitetura e construção – Ed.25 – Ano 07.